Quem lê as revistas de Tio Patinhas já viu mais de uma vez  o quaquilionário de Patopolis com seus sobrinhos Donald, Luisinho, Zezinho e Huguinho montados em animais enormes, peludos parecidos com bois ao subir as montanhas do Himalaia em busca de tesouros ou reinos perdidos. Pois o Iaque existe mesmo. O iaque é um animal herbivoro de pelagem longa que vive no Himal, Sul da Asia Central,  Planalto do Tibet e até a Mongolia. O Iaque (Bos grunniens) é um bovino de pelagem longa encontrado na região do Himalaia, no sul da Ásia Central, Qinghai, no Planalto do Tibete, até à Mongólia, a norte. Sâo animais de rebanho sendo que os iaques selvagens chegam a 2,20m enquanto os iaques domésticos tem em media 1,60m de altura. Ambos tem pelos longos que os protegem do frio. Os iaques selvagens podem ser marrons ou pretos. Os domesticados também podem ser brancos. Tanto os machos como as fêmeas têm chifres. Os iaques domésticos acasalam por volta de Setembro; as fêmeas podem conceber com 3-4 anos de idade, parem de Abril a Junho cada dois ou três anos, ao que parece dependendo da provisão alimentar. O período de gestação é de aproximadamente nove meses. Os bezerros são desmamados em um ano e ficam independentes logo depois disso. Os iaques podem viver mais de 20 anos. Os iaques secretam uma substância pegajosa especial no seu suor que ajuda a manter o seu pelo de baixo entrelaçado e age como isolamento extra. Esta secreção é usada na medicina nepalesa tradicional. O pelo também serve também para proteger o seu corpo de arranhões. Outra função do pelo é a de proporcionar camuflagem em lugares com mata mais fechada e escura, assim enganando os predadores, que são o lobo-tibetano, o leopardo-das-neves e o urso-azul-tibetano. Além da camuflagem, os iaques usam, também, os chifres para se proteger de inimigos ou predadores. Por essa razão, apesar de ser um animal lento, consegue ripostar. Muitos iaques selvagens são mortos pelos Tibetanos pela sua carne; hoje em dia são uma espécie vulnerável.
Fonte: wikipedia
Anúncios