Maio acabou. Mas, já que maio é (ou era) o mês das noivas, nada como lembrar princesas que tiveram seu dia mágico de fantasia ou sonho.

Nos anos 80, foi Diana Spencer, Lady Di, que parou o mundo ao casar com o Principe Charles, herdeiro do trono inglês. O casamento não deu certo, Diana morreu prematuramente em um desastre de automóvel, mas seu vestido ficou na memória pela polêmica: uns amaram, outros odiaram. Mas o modelo reflete a estética exagerada da década.

Quase tres decadas depois, sua nora, Kate Middleton aliou classe e simplicidade ao adentrar a igreja para se tornar a esposa de William, filho mais velho de Diana. Kate dispe nsou serviços de maquiador e cabelereiro e usou uma tiara pertencente a avó do noivo, a Rainha Elizabeth, alem de um vestido que lembrou o de Grace Kelly.

Em meados da década de 50, Grace trocou uma carreira premiada no cinema – trabalhou inclusive com o diretor-cult Alfred Hitchcock – pelo casamento com o príncipe Rainier de Mônaco. Como as vezes acontece com princesas, morreu num acidente de carro.

Hoje rainha, Rania, da Jordania, é ícone de moda no Oriente Médio, além de uma mulher antenadissima com seu tempo e teve um casamento digno das mil e uma noites, com modelito caprichado.

Adepta do clássico e sempre impecável, Matilde da Bélgica tambem teve um casamento com pompa e circunstância com direito a vestido com longa cauda.

Uma das historias de amor mais bonitas da realeza moderna é a de Felipe e Letizia, principes das Asturias, que virou inclusive serie de TV. O vestido da noiva (assim como o da sogra e das cunhadas) está exposto no Palacio Real de Aranjuez, na Espanha.