Fatima Dannemann

Uma cidade especial, um dos lugares mais bonitos do mundo, a cidade do Rio de Janeiro só poderia ser pisciana. Fundada em 1 de março de 1565 por Estácio de Sá, a Cidade Maravilhosa continua cheia de encantos mil apesar da violência e de outras mazelas. Segunda maior cidade brasileira, principal destino turístico da América do Sul, o Rio pode nem ser mais a capital do Brasil mas continua imbatível em beleza, charme, criatividade, e no mix entre o natural e o que foi construído pelo ser humano, montanha e mar, antigo e moderno, ousado e tradicional.
Com 160 bairros, situada entre a margem ocidental da Baia de Guanabara, banhada pelo Oceano Atlântico, várias lagoas, pontilhada de montanhas, o Rio de Janeiro é uma das cidades mais cantadas em verso e em prosa no Brasil. Cidade Maravilhosa, Aquele Abraço, Corcovado, Samba do Avião, foi lá que surgiu a bossa-nova, movimento musical brasileiro cultuado em todo mundo.
A cidade é linda e ao mesmo tempo cheia de contrastes. Vai de altíssimos edifícios de luxo na Barra da Tijuca, as favelas que traçam no morro o quadro triste do lado pobre carioca que, aliás, é muito semelhante aos das demais grandes cidades brasileiras. Nos museus, na arquitetura, na arte, e nos parques o antigo e o moderno. A ultramoderna Catedral Metropolitana de um lado, igrejas antigas como a Candelária, de outro. Prédios imponentes do tempo do império como a Biblioteca Nacional, o Museu Nacional de Belas Artes e o moderno Aterro do Flamengo com um cartão postal mais recente mas igualmente importante, o Museu de Arte Moderna.
Ao lado de tudo isso, um povo bem humorado, que sabe viver, o carioca. É ele quem trabalha e impulsiona um dos maiores centros financeiros do pais e ao mesmo tempo senta na mesa dos botequins para discutir duas paixões nacionais do carioca: samba e futebol. Foi essa mistura de irreverência com responsabilidade ao longo de quase 200 km de Orla Marítima que fizeram do Rio sede de eventos importantes como a Eco-92, o Pan e as esperadas Olimpíadas de 2016. Uma cidade pisciana, intensa, linda que aos 445 anos se mostra eternamente jovem.

Bookmark and Share