Esta semana, alguns sites da Internet estamparam a foto de um filhote de guepardo junto a sua mãe num zoológico da Suíça. Até ai, nada demais. O que tornou a foto noticia é que, apesar deste felino não se reproduzir bem em cativeiro, segundo afirmam especialistas, a fêmea “Msichana”, de 10 anos, teve nada menos do que dez filhotes no zoológico de Basiléia, Suíça.

O guepardo é um animal da família dos felídeos (Felidae), conhecido tambem como cheetah, leopardo-caçador ou onça-africana, único representante sobrevivente da família dos acynonix, muito parecido com o Leopardo e capaz de correr grandes distancias em curtíssimo período de tempo. Num teste realizado nos Estados Unidos, a “gueparda” Sarah, quebrou o record recorde mundial de velocidade para mamíferos terrestres, chegando a fazer o percurso em 6s 13, três segundos menos do que o recordista humano Usain Bolt.

O corpo da chita é esbelto, musculado e esguio, ainda que de aparência delgada e constituição aparentemente frágil. Cada chita pode ser identificada pelo padrão exclusivo de anéis existentes em sua cauda tem uma cabeça pequena e aerodinâmica e uma coluna incrivelmente flexível, são habilidades que ajudam bastante na hora da perseguição. È um predador que usa a velocidade para capturar suas presas. Consegue atingir velocidades de 110 a 120 km/h.

A chita ou guepardo vive entre a África e o Sudeste da Ásia. Em países asiáticos este animal vem se tornando cada vez mais raro, mas já houve tempo em que a chita era domesticada e usada na caça ao antílope e outros animais. É uma espécie que corre risco de extinção mas não apenas pela ação do ser humano, pois leões e hienas fazem uma ferrenha competição com o guepardo, sendo que de vez em quando roubam a presa abatida pelo guepardo. As crias de guepardo sofrem de elevados índices de mortalidade devido a factores genéticos e à predação por parte de carnívoros que competem com esta espécie como leões e hienas.

Fontes: Wikipedia, Terra, Globo.com
Pesquisa e texto: Maria de Fatima Dannemann