Depois da “Lei Seca”, todos os acidentes de automóveis passaram a ser atribuídos ao álcool. Será que as ruas esburacadas não contam?

E por falar no binômio álcool x direção, seria bom a SET fazer blitz durante o dia, não só nas praias como em outras ruas. A atitude de certos motoristas é muito esquisita.

Enquanto isso, dá pena ver pessoas andando no meio fio ou mesmo no asfalto em pistas de alta velocidade porque os carros ficam sempre estacionados na calçada.

A Globo precisa dar um jeito no Português de Ana Maria Braga que vira e mexe solta uma asneira no ar. Uma das ultimas “eu tinha chego em casa mais cedo”… Doeu.

Falando em Televisão, eis que Bruno Gagliasso faz mais um personagem esquisito em sua carreira. Depois de um traumatizado e um trombadinha, ele agora é doente mental.

Pior é ficar aguentando as gracinhas do pessoal do Casseta e Planeta que na sátira de Caminho das Índias chama o personagem de “Bruno Malucasso”.

Mudando de canal, a Record cada dia que passa inventa uma novela mais violenta do que a anterior. “Poder Paralelo” bate todos os recordes.

A desculpa das emissoras é que as cenas de violência servem como “denúncia”. Não se sabe de que. No mínimo é apenas uma escola de maus exemplos.

E a Gripe Suína, heim? Era tudo o que o Governo precisava para esconder os casos de dengue, meningite, AIDS e coisas ainda piores que andam acontecendo no Brasil.

Com as chuvas dos últimos dias, os pescadores da Orla de Salvador não tiveram condições de sair para pescar e vêm se queixando do prejuízo. E a pesca, aqui, ainda é bem artesanal.

O temporal afetou seriamente não só o trânsito de Salvador (totalmente engarrafado) como a travessia Mar Grande-Salvador, que foi suspensa, e o Aeroporto que foi fechado.

Pior são as perspectivas da meteorologia de que o mau tempo deve durar até junho pelo menos. E isso em todo Nordeste que normalmente sofre por outro motivo: a estiagem.

A chegada das Casas Bahia acirrou a concorrência. No Shopping Paralela, o mais novo da cidade chegou-se a disputar consumidor no corpo a corpo.

Segundo quem assistiu, parecia coisa da Baixa dos Sapateiros, vendedores abordando transeuntes em plena alameda do shopping em meio a festa de inauguração.

Com a concorrência quem ganhou foram os consumidores. Produtos que custavam mais de R$1mil agora custam R$200 e poucos. Um desses é o forno de microondas.

E a perua barraqueira, heim? Em Casablanca, atrasou a viagem por conta de uma briga inútil com o guia por causa de compras na Medina. Ah, mas botou a culpa em quem “só fica tirando fotos”… tsc, tsc…