Fatima Dannemann

Essa semana eu, deliberadamente, volto as raízes e mostro um pouco de Cachoeira e São Felix onde está, aliás, o velho prédio da fábrica de charutos Dannemann que foi fundada por um irmão de meu bisavô. Essas duas cidades, banhadas pelo Rio Paraguaçu e ligadas por uma ponte inaugurada pelo imperador, é um ponto imperdível para quem gosta de história, lugares bonitos, arte, arquitetura e cultura baiana.

Para quem está em Salvador, dá para ir e voltar num dia. Mas se puder ficar e aproveitar mais um pouquinho, melhor. Dia de sábado, tem feira em Cachoeira quando a pracinha onde tem o mercado vira um verdadeiro shopping center. Tem de tudo, mas o melhor são os queijos artesanais. Esqueça os óbvios provolone, coalho e requeijão e escolha o queijo-cabacinha. Para acompanhar que tal um dos licores feitos em Cachoeira? Tem pelo menos duas lojas especializadas. Eu gosto mais da Casa do Licor onde sempre tem algo exótico e exclusivo.

Imperdíveis são o museu e sede da Irmandade da Boa Morte, a fábrica de charutos, do outro lado da ponte, em São Felix, as igrejas das duas cidades (a maioria do período barroco), a casa de Hansen Bahia, e outros lugares. Chegando perto do rio, dá para ver, ao fundo, o paredão da Barragem Pedra do Cavalo com seu enorme lago. Alem de Cachoeira e São Felix, há outras cidades no Recôncavo como Santo Amaro, terra de Caetano Veloso, que pode ser visitada no caminho para Cachoeira.

Fonte: experiência pessoal

About these ads